sábado, 30 de outubro de 2010

Jogo de nave, sem nave.

Categories: ,


Reimu HakureiEm nossa sociedade, existe a crença de que trabalhos artísticos independentes são de baixa qualidade, não chamam a atenção do consumidor e nem rendem dinheiro ao indivíduo que os produziu.

Algumas pessoas até sonham em desenhar histórias em quadrinhos, escrever romances ou formar uma banda. Mas então, quando pensam no esforço necessário para produzir um material de qualidade, bem como a possibilidade de, talvez, não receber o retorno desejado, a maioria desiste da idéia e vai direto cursar uma faculdade de direito, medicina ou administração, os ditos “caminhos garantidos”.

Os japoneses pensam de um jeito diferente. Não apenas consomem trabalhos independentes com a mesma vontade com que consomem trabalhos oficiais, como também, em certos casos, colocam esses trabalhos na lista de RARIDADES e MUST HAVE, por conta do seu acabamento profissional e do número reduzido de exemplares.

Fate/Stay NightO sucesso de alguns destes artistas é tanto que eles acabam formando sua própria empresa. O escritor Kinoko Nasu e o ilustrador Takashi Takeuchi são exemplos recentes. Em 2000, sob o selo do grupo independente Type-Moon, lançaram a visual novel Tsukihime, cujo êxito foi tão grande que elevou a carreira de seus criadores. Em meados de 2003, estabeleceram a Type-Moon como uma empresa comercial, para então lançarem seu primeiro produto: a visual novel Fate/Stay Night.

Mas isto é um assunto para outro post. Aqui, falaremos de outro artista independente de sucesso. Trata-se de ZUN, criador da franquia Touhou.

Tudo começou quando ele, durante o colégio, decidiu se tornar compositor de trilhas sonoras para jogos de luta, inspirado por Street Fighter II, que na época era muito popular. Entrando na faculdade com esta intenção, chegou a pensar o seguinte:

Se quero compôr trilhas sonoras para jogos, seria conveniente começar por meus próprios jogos. Acho que vou criar um, só para enchê-lo com minhas músicas."

E assim, seguindo o caminho da conveniência, deu início a um dos dojin games mais adorados pelos otakus, elaborando os primeiros contornos do que, hoje, conhecemos por Gensokyo.

Um tijolo de cada vez

Story of Eastern WonderlandGensokyo é uma vila isolada do mundo externo. Nela convivem humanos e yokais que, por um tempo, relacionam-se em harmonia, para depois iniciarem seus conflitos. São dotados de poderes mágicos e de grande espiritualidade, desconhecendo a ciência e a tecnologia. O Templo Hakurei (Hakurei Shrine), localizado na fronteira, é o único acesso do mundo externo à Gensokyo. É nele que mora Reimu Hakurei, uma jovem sacerdotisa, responsável pela proteção da vila.

Touhou é ambientado neste pequeno universo.

Os cinco primeiros jogos foram feitos para a linha de computadores japoneses NEC PC-9801, com a ajuda do grupo Amusement Makers, antigo clube de desenvolvimento de jogos da Tokyo Denki University.

Highly Responsive to Prayers
O primeiro deles, Highly Responsive to Prayers, lançado em 1996, era mais para testar os conhecimentos de programação de ZUN. Seu gênero era próximo ao SHOOTER, mas era pouco tradicional. A tela ficava recheada de cartas, como se fossem selos espirituais, e Reimu deveria destruí-las usando uma bola Ying-Yang. Movendo a protagonista para os lados e usando tiros, pancadas de bastão e rasteiras, o jogador precisava guiar a bola na direção certa, lançando-a contra as cartas, ao mesmo tempo em que desviava de tiros inimigos e da própria bola Ying-Yang (sim, a bola era amiga, mas também era inimiga. Se ela atingisse Reimu, o jogador perderia uma vida).

Story of Eastern WonderlandO segundo, Story of Eastern Wonderland, introduz a jogabilidade padrão dos SHOOTERS, na qual o jogador, controlando Reimu, deveria se esquivar dos tiros adversários e atirar de volta, usando bombas especiais para limpar a tela de todos os inimigos, quando julgasse que a coisa estava feia (momentos frequentes em Touhou X_X). 


Marisa KirisameEste tipo de jogabilidade seria mantida e melhor explorada nos jogos seguintes, elevando a dificuldade e exigindo cada vez mais da destreza do jogador, definindo a série como um verdadeiro HELL SHOOTER.

É também nesta edição que Marisa Kirisame aparece pela primeira vez. Atuando aqui como chefão, reaparecerá no 4° jogo como personagem jogável, nunca mais abandonando a posição. Aliás, transformar antigos vilôes em personagens jogáveis é uma marca registrada de Touhou.

Mystic Square
, 5° e último jogo para o NEC PC, foi lançado em dezembro de 1998. Foi também o último Touhou do grupo Amusement Makers, que deste ponto em diante não produziu nenhum outro jogo com ZUN.

O tempo foi passando e todos pensaram que a série tinha acabado. Contudo, 4 anos depois, ZUN retomou o projeto e lançou uma continuação.

O 1° Touhou:



Ascensão


Tenta desviar aí!O sexto jogo marcou a vinda de Touhou para o Windows, bem como o início da carreira solo de ZUN. A partir daí, produziu sozinho todos os outros games, com exceção de Immaterial and Missing Power, Scarlet Weather Rhapsody e Touhou Hisotensoku, jogos de luta feitos em colaboração com o estúdio Twilight Frontier.

E quando digo “produziu sozinho”, quero dizer SOZINHO MESMO. Pois não apenas programou, como também compôs as músicas, desenhou os gráficos e ilustrou as capas dos CD's. Sim: ele é programador, músico e desenhista. Embora os créditos sejam dados ao Team Shanghai Alice, esse “Team” é o próprio ZUN e mais ninguém.

Mantendo o velho estilo SHOOTER, as versões do Windows apresentavam gráficos evoluídos, ganhando mais cores, profundidade e efeitos especiais, como sombras, brilhos e névoas. A música deixou o formato FM Synthesis para adotar o Midi Music, permitindo composições mais agradáveis ao ouvido, livres daquele velho “som de máquina” que, num momento ou outro, irritava.

Hell Shooter de verdadeReimu Hakurei continuava assumindo o papel principal, ao lado de Marisa Kirisame. A trama não mudou sua fórmula: demônios e fantasmas se agitavam no mundo de Gensokyo, indicando novos problemas. Pouco a vontade com a situação, Reimu precisava investigar o que estava acontecendo e capturar o responsável, enfrentando perigosas garotas yokais e se arriscando numa porção de tiroteios infernais. MUITO infernais, diga-se de passagem!

Embora mantivesse a mesma estrutura, os fãs nunca se cansavam. Longe disto: sempre pediam mais. E não apenas devoravam os games de ZUN, como também tentavam expandir seu universo à própria maneira.

O 6° Touhou:
(Adoro a música do chefão. A batalha fica muito mais tensa O_o)



De propriedade privada a domínio público


Curiosities of Lotus AsiaA série ficou famosa nas comunidades otakus, ganhando fãs no mundo todo. Foi adaptada para outras mídias, como light novels (livros juvenis), fanbooks, mangás, animês e CD's de trilha sonora. ZUN compunha as trilhas e escrevia algumas histórias, como o romance serializado Curiosities of Lotus Asia, o livro Grimoire of Marisa e o mangá Touhou Sangetsusei. Outras publicações, como Bohemian Arquive in Japanese Red e Seasonal Dream Vision, reuniam mangás de diferentes artistas.

Mas a repercussão mais notável foi seu impacto no mundo dos dojins. Quando veio ao Windows, Touhou não apenas ganhou popularidade, como também incentivou a produção de trabalhos independentes. A lista de títulos é longa e vai desde mangás até músicas, animês e games.

Para se ter uma idéia, em 2003, a Comiket (feira de trabalhos independentes do Japão, semelhante ao Fanzine Expo do Anime Friends) não registrou nenhum grupo vendendo produtos derivados de Touhou, enquanto que, em 2008, com a fama adquirida no Windows, o mesmo evento registrou 885 grupos.

Não bastando a Comiket, também há a Hakurei Shrine Reitaisai, convenção de dojins voltada exclusivamente a Touhou. Foi iniciada por ZUN em 2004 com a intenção de distribuir, de antemão, a versão Trial de seus futuros jogos. Nesta primeira edição, cerca de 114 grupos se inscreveram para comercializar dojins. Na edição de 2008, foram 1.086.

Koumaju Densetsu: Scarlet SymphonyEntre os artistas independentes que cultuam a série, alguns merecem destaque. IOSYS,  grupo de dojin music, é conhecido por sua série de vídeos animados, feitos em Flash, amados pelos fãs. Frontier Aja , grupo de dojin game, produziu Koumaju Densetsu: Scarlet Symphony, jogo de plataforma protagonizado por Reimu, que simula a jogabilidade de Castlevania. Ambos os trabalhos, refinados e bem acabados, são objetos de desejo entre os fãs estrangeiros.

Foi sem querer querendo


ZUNO 15° jogo foi lançado em agosto deste ano. As atividades independentes estão a todo vapor e a cada mês as lojas virtuais especializadas em dojins adicionam novos produtos Touhous ao seu catálogo. ZUN não se incomoda em ver tantas pessoas fazendo uso de seus personagens. Pelo que se sabe, até incentiva, impondo poucas restrições. Afinal, ele não é burro: sabe muito bem que trabalhos assim ajudam a popularizar a série, mantendo-a sempre fresca.

Engraçado como tudo começou por mera conveniência, sem a menor intenção de transformar Reimu e sua turma num "fenômeno marginal". Tudo porque ZUN queria ouvir suas composições musicais num jogo de verdade.

É como construir uma casa inteira só para acomodar os móveis que você mesmo projetou, e então pensar “hey, espera aí... eu posso morar nesta casa... a intenção era apenas ver como meus móveis ficariam se eu os dispusesse numa casa de verdade... mas agora que estou reparando melhor, eu também posso viver aqui”. Não está longe da verdade, pois Touhou se tornou um lugar comum para ZUN, um trabalho que o deixa “em casa”, e que certamente faz parte de sua vida.

Quando há talento e boa vontade, qualquer trabalho artístico pode ganhar nosso coração. Mesmo não tendo um selo oficial.

É tão bom ver as pessoas abrindo os olhos para o mundo dojin ^^

Downloads

Seu Windows precisa ter instalado o pacote de língua japonesa. Caso contrário, não será possível instalar os jogos. Havendo links quebrados, avise a gente, beleza?!

Primeira geração de TouhouTouhou 1 ao 5 + Emulador

Usando o emulador: acesse a pasta "PC-98 Emulator" e clique em "anex86.exe". Na janela do emulador, clique no "..." do HDD1 ou HDD2. Selecione o arquivo do jogo e clique em Start.

Não há tradução para estes jogos. Para aprender os comandos, consulte as seguintes páginas: Touhou 1, 2,
3, 4 e 5.


Embodiment of Scarlet DevilTouhou 6
Já está traduzido para o inglês
Perfect Cherry BlossomTouhou 7
Patch de tradução para o inglês
Imperishable NightTouhou 8
Patch de tradução para o inglês
Phantasmagoria of Flower ViewTouhou 9
Patch de tradução para o inglês
Shoot the BulletTouhou 9.5
Patch de tradução para o inglês
Mountain of FaithTouhou 10
Patch de tradução para o inglês
Subterranean AnimismTouhou 11
Patch de tradução para o inglês
Undefined Fantastic ObjectTouhou 12
Patch de tradução para o inglês
Double SpoilerTouhou 12.5
Patch de tradução para o inglês
Fairy Wars/Great Fairy WarsTouhou 12.8
Patch de tradução para o inglês

A Radio que vai dominar o meu, o seu, o nosso mundO!

Related Posts

3 Response to Jogo de nave, sem nave.

Anônimo
17 de abril de 2011 08:39

Excelente matéria!

20 de maio de 2011 12:01

Excelente matéria!2

6 de abril de 2014 17:53

O link do emulador não funciona mais. :/
Mas gostei muito da matéria, muito boa mesmo. :)

Postar um comentário